CANTINHO DA POESIA

CONFLITOS

De onde vim?
Quem sou?
Para onde vou?
Vim do infinito, do Criador...do amor maior...
Sou homem, um ser pensante, um ser errante...
Vou para onde a vida me levar...
Passo pela vida, ela por mim...sem ter onde pensar...
Sou homem, amo as mulheres...e os homens também...
De mim saíram frutos de amor maior...
De quem não soube perdoar e nem aceitar...
Meu jeito de ser e de amar...
O mundo me julga, me condena...
Há juízes de todos os lados...
Com martelos prontos...
Para o veredito final!
O que sabem de mim, além do que eles vêm?
Não sabem o que sinto quando te amo...
Nem a minha dor quando te abandono...
Em busca de alguém tão igual a mim!
E agora?!Devo fugir?
Devo enfrentar?
Ou ser outro que não sou, só pra me safar?
Ah! como eu queria só te amar Berenice...
E não ter que lutar comigo mesmo!
Eu suporto tudo: dedos apontados em minha direção...
As vozes sussurradas com malícia quando passo...
A perda de estima dos meus parentes mais queridos!
Só não suporto ver você indo embora por causa dos meus conflitos!
Você sempre diz que me amará nesta, e em outra vida...
E que ter o meu amor é como colher uma flor,
Que logo vai morrer.
E que então vai apenas me olhar e me amar!
Estarei sempre aqui com meus conflitos...
Querendo ver teus olhos e neles me mirar...
E quem sabe um dia, me encontrar...

Berenice  



SINAIS
SURGIU O SOL...
DAS MINHAS NOITES INTERMINÁVEIS...
O ARCO ÍRIS ENFEITOU O CÉU LEMBRANDO-ME DA
ALIANÇA DO SENHOR!
HOJE QUANDO A CHUVA CAI, FICO A OLHAR PELA JANELA
AGRADEÇO A DEUS POR TÃO GRANDE DÁDIVA
QUE FAZ BROTAR A VIDA QUE LATEJA EM SOLO FÉRTIL
OBRIGADO SENHOR PELOS SINAIS DE AMOR E ESPERANÇA
QUE A CADA DIA NOS MOSTRA O SEU AMOR SEM FIM...


No tic tac do tempo
Olhando as horas passarem
Vendo a vida passando em vão...
Se doando por pedaços de mim
É que fico a pensar...
E quanto mais eu penso, mais chego
A uma conclusão: o tempo vai trazer-me
A resposta a tudo que me interrogo
No silêncio do meu íntimo...
Olho para o relógio e a cada segundo
Que passa é um pouco de vida
Que podíamos estar juntos...
E a vida nos nega por convenções tão banais.
Eu ti amo, tu me amas...
E vemos nossas vidas ficando pra trás, deixando
Tantos sonhos se esvaírem,
Vendo tanto amor se perdendo no tic tac do tempo...






Maria Bernadete Garcia Ferreira de Almeida, 1992

Sem você quero morrer

Morrer...
Acho que é isso que às vezes quero.
Fechar os olhos e deixar de sofrer.
Buscar o infinito e voar no além.
Morrer para não ficar sem você;
Não ter que olhar a vida sem você ao meu lado.
Como vou olhar as flores, se meu jardineiro se foi...
Como passear no bosque, sentir o cheiro da vida
Respirar o ar puro sem você a me dizer
Que sou sua harpia...
Já fui sua boneca, seu doce côco,
Sua flor...
Já fui estrela do seu planeta e se apagou...


A CRIAÇÃO

Redondinho como um berço de palha,
Assim nasceu a terra
Estava vazio o berço...escuro sem luz
Mas estava já preparado o canteiro
Onde um jardineiro do universo passou
A semear...
No teto pendurou a cor azul,
Com milhares de estrelas a cintilar
No centro jogou uma enorme bola de fogo
Que chamou de astro-rei
Quando o berço gira a embalar a semente
O astro-rei dá seu trono
Ao seu eterno amor, a lua branca
O vento soprou, a água jorrou...
Um mar azul habitou a terra
Surgiram cores mil e corpos nus
Alguns deles se cobriram
Com vergonha da mãe-natureza...
Outros seguiram nus rumo ao sol e à Liberdade!

 

DETE/2005

 

ACORDA BEBÊ!
Ainda me lembro de você deitado sob os lençóis...
Confundia-te como alguém do coração...
Na verdade você também já era parte de mim...

Brincávamos, conversávamos e fazíamos planos...
Planos que nunca se concretizaram
Mas que sobreviverão em outro plano...
Acorda bebê...
Assim será o dia em que nos reencontraremos
Sob o sol de um novo mundo onde não haverá 
Mais adeus...e todos os bebês que dormem, acordarão
para brincar, para sorrir e correr
Sem se cansar...
Acorda bebê...
O sol já saiu e já é hora de voltar para casa!
Aguardo ansiosa e com saudade os dias vindouros
Como uma mãe que aguarda pelo dia do parto...
E enfim poderei novamente fitar seu olhar, conhecer seu sorriso, afagar sua face e seus cabelos...
Acorda bebê!

Maria Bernadete Garcia Ferreira de Almeida
Iepê, 14/07/2009

 



Um comentário:

Tiago Nascimento disse...

Gostei dos poemas, minha amiga! E, gostei do Cantinho da Poesia. Ah, quando você abrir espaço para novos autores, me avisa que envio alguns poemas. Beijos.

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget